Nós por cá... na saúde

Neste blog poderá encontrar de tudo um pouco, sempre relacionado com a saúde em particular com a Enfermagem... Aqui terá acesso à saúde pelos olhos de estudantes de Enfermagem

sábado, março 19, 2005

A doença de Ménière - Parte II

Os sintomas da doença de Ménière
Vertingens
Um dos fenomenos caracteristicos da deoença é o facto do paciente sofrer de vertigens. Será importante precisar que estas vertigens surgem na forma de crises, o que significa que o paciente sofre de vertigens periódicas, e que em determinados periodos não sente este tipo de sintomas. Por exemplo, pode acontecer que o paciente sofra de falta de equilibrio ou de ligeiras vertingens entre as crises, mas estes incomodos não têm nem a forma nem a intensidade dos problemas de equilibrio e de vertigens, que aparecem no momento das crises.


As crises podem ser de curta ou de longa duração. Se as crises duram mais do que alguns segundos ou minutos, não se trata da doença de Ménière . Se as crises duram mais do que 2 ou 3 dias, também não se trata da doença de Ménière . Temos por hábito dizer que as crises caracteristicas da doença de Ménière duram entre 2 a 4 horas, o que não quer dizer que alguns pacientes não possam ter crises de duração muito diferente. O caracteristico é que o paciente se sente relativamente bem ou se sente bastante mal, isto é, tem uma crise.


Em geral, as crises são súbitas e para muitos pacientes não apresentam indicios de que a crise vai surgir. Durante a crise, o paciente tem a impressão de que tudo roda a sua volta, como se estivesse num manejo. Chega mesmo a ser impossivel manter o equilibrio durante várias horas. Neste caso, é preferivel permanecer deitado. Durante as crises, produzem-se movimentos rítmicos involuntários dos globos oculares, fenómeno designado por nistagmus, perturbando a visão do paciente ao ponto de este deixar de ver com nitidez.


O nistagmus caracteriza-se pelo aparecimento de movimentos rítmicos involuntários dos globos oculares, devido a um reflexo dos orgãos de equilibrio do ouvido interno. Quando fazemos uma pessoa andar à roda, os olhos, por via reflexa, executam então um movimento na direcção oposta, à mesma velocidade que a rotação efectuada. Este movimento dos olhos permite continuar a fixar o mesmo ponto. Assim que os olhos atingem 10 a 15º no sentido oposto à rotação, eles executam então um movimento muito rápido no sentido da rotação, voltando assim a encontrar um novo ponto fixo. Se o nervo do equilibrio do ouvido interno estiver parado, surge um nistagmus espontaneo: significa que os olhos efectuam movimentos, tentando aparentemente compensar o efeito de rotação fícticio, que são na realidade as vertigens. Se a pessoa sente um nistagmus espontaneo, podemos igualmente ter a impressão visual que tudo mexe à sua volta, para além dos sintomas de rotação que são sentidos no seu interior.


Quando surge uma crise, tem-se a impressão de ter um enjoo semelhante ao de uma viagem de barco com o mar agitado. Muitos pacientes têm vómitos, nauseas fortissimas e a pessoa sente-se muito mal. Para além das nauseas, a pessoa sente um cansaço muito grande e uma depressão forte. As dores de cabeça são frequentes. Isto passa-se igualmente com qualquer pessoa que sofra da doença de Ménière. Depois das crises, a fadiga e a depressão são dificeis de eliminar. Um paciente que sofra da doença de Ménière, e que se encontra num periodo de crise, fica frequentemente deprimido e cansado. Não se trata de uma reacção psiquica devido à doença, mas de uma caracteristica que faz parte integrante da doença. Para muitos, os sintomas sã tão dificeis de suportar como as crises em si. Por outro lado, podem igualmente surgir sintomas de fadiga, depressão e problemas de memória. Alguns pacientes pensam que o cerebro está afectado pela doença e receiam ficar senis. Mas estes sintomas fazem parte da doença, e quando o paciente tiver ultrapassado a crise, a memoria, a boa disposição e a energia regressam à normalidade.


As pessoas, que não conhecem o paciente e que assistem a uma crise, julgam que ele estará embriagado. Se a crise ocorrer no local de trabalho, e se isso acontecer muitas vezes no mesmo mês, alguns colegas podem chegar a voltar-lhe as costas. Outros poderam reagir de outro modo, com compaixão. Como se trata de uma doença pouco conhecida, torna-se complicado explicar que é uma doença de tratamento muito dificil.